Posts Recentes

Uma equipe é como um relógio

Esta semana tive a oportunidade de assistir a uma apresentação de Philippe Vandeput, Managing Director da UCB Pharma, uma empresa com operações em mais de 40 países. O tema central foi seus desafios à frente de uma reestruturação que exigiu a demissão de 60% dos colaboradores de uma unidade de negócio. Em um certo momento, ele fez uma analogia interessante: sua convicção é de podemos trocar “Patek Philippe” (uma marca de relógios de luxo) na frase abaixo por “equipe”:

You never actually own a Patek Philippe. You merely look after it for the next generation. (slogan promocional da empresa)

A mensagem é de que a equipe não “pertence” ao líder; o papel deste é cuidar dela e desenvolvê-la para que ela esteja pronta quando um novo desafio (ou líder) chegar. Assim, líderes que “usam” “suas” equipes para atingir objetivos pessoais estariam cometendo um erro seríssimo, e não merecem a posição que ocupam.

Agora vamos checar a realidade: quantos líderes você conhece que estão fazendo o que Philippe apontou? Quantos estão fazendo o oposto? Quais são os impactos, para as pessoas e para as empresas, desta situação? Em qual lado você está? O que você pode fazer a respeito?

  1. Desafiando premissas Deixe uma resposta
  2. Experiências reais Deixe uma resposta
  3. Você comemora suas conquistas? Deixe uma resposta
  4. Criança, a alma do negócio Deixe uma resposta
  5. “Em diferentes momentos tive um coach me apoiando” Deixe uma resposta
  6. Liderança se resume a três C’s Deixe uma resposta
  7. Executivos de sucesso e coaching Deixe uma resposta
  8. “O ótimo é inimigo do bom.” Será mesmo? Deixe uma resposta
  9. A fórmula da liderança Deixe uma resposta